«No mundo, há gente notável!»

21/09/14

JOÃO ALMEIDA, CONVIDADO NO PROGRAMA "RUMOS" DA RTP-AFRICA

Chama-se “Rumos” o programa televisivo da produtora lisboeta “Genius Produções Audiovisuais”. Realizado por uma equipa experiente no tratamento jornalístico das questões ligadas à imigração africana, este magazine de informação cultural, centra-se na cultura e vivência das comunidades lusófonas residentes em Portugal, com a possibilidade de incluir reportagens de temas recolhidos nos países da comunidade lusófona. No caso Moçambique, onde a o convidado tem intervençao, iniciou a sua intervenção social. A convite do programa "Rumos" a reportagem conta com imagens da operacionalidade da organização, em terras de Cabo Delgado, no passado mês de Novembro de 2010.
O programa é exibido todas as quartas-feiras pelas 21h30 na RTP África, sendo semanalmente repetido na RTP Internacional.
Patrícia Figueiredo é o rosto deste programa, que em termos de apontamento de reportagem, foi gravado em exteriores, no Parque Eduardo VII em Lisboa. A entrevista foi conduzida pela Jornalista Daniela Costa do “Rumos” , tendo como convidado João Almeida em representação do projecto que dirige.
O programa, prevê-se possa ir para o ar, no próximo dia 13 de Abril, ás 21h30.

SAÚDE MATERNO INFANTIL E DA CRIANÇA, MOBILIZA UMA "ONDA" DE CANDIDATURAS

Desde que nasceu o projecto "Saúde-Alerta", houve a necessidade de se integrar, um processo de cooperação voluntária mais direccionado para a criança. Tanto na Guiné-Bissau como em Moçambique, o trabalho de campo é necessário, para levar informação, ajuda, aos locais e populações mais interiorizados. Os casos de morte de bebés prematuros é elevado, falta muito conhecimento nos centros de saúde, nas mamãs e até nas famílias, de como agir, perante casos de extrema gravidade. Por outro lado, falta o "know-how" técnico e de apoio pré-hospitalar, falta... muita coisa. João Almeida, deu vida a um projecto mais completo, que combina duas frentes de trabalho, que pode colaborar para minimizar a mortalidade infantil, em paralelo com outras instituições e mecanismos ligados á saúde pré-natal e da criança. Por seu turno, uma destas vertentes, apostará na formação continua de formadores, em áreas emparceladas ligadas á emergência, e suporte imediato de vida (SIV).
Por aqui...será o caminho!
Organizações voluntárias, unidades médicas e de saúde, agentes de socorro e bombeiros, entre outras instituições descentralizadas do estado, podem dar um contributo de actuação rápida nos casos mais preocupantes. É aí, que entra o projecto raiz. As candidaturas para este processo de cooperação dispararam, desde Enfermeiros, Médicos, Psicólogos clínicos, técnicos de saúde, Médicos especializados em várias valências, dispõem-se para colaborar, em regime de curta ou média duração, para congregar este projecto. Gravitam em torno do "Saúde-Alerta" outros, como "Escola para todos" (P.A.I.E.), e o "Alicerce XXI" para a educação e apoio social respectivamente. Recorde-se que qualquer destas acções de voluntariado, já estão a ser desenhadas, para se iniciarem em 2011 em Moçambique. 

10/07/13

JOÃO ALMEIDA E FERNANDO NOBRE, NA ABERTURA DOS "CURSOS DE VERÃO"

"CIDADANIA PARTICIPATIVA" - (PALESTRA INICIAL), JUNTOU JOÃO ALMEIDA E FERNANDO NOBRE A FALAR DO MUNDO E DAS SUAS SUAS EXPERIÊNCIAS, NAS CAUSAS HUMANITÁRIAS. 

No dia 5 do corrente, o Responsável Operacional para os Assuntos de Cooperação Humanitária, SOS-MUNDUS, João Almeida Tavares foi um dos convidados da primeira das sessões dos "Cursos de Verão" organizado pela Associação Cívica - Portimão Sempre, que a par com o Dr. Fernando Nobre da (AMI), abriram um ciclo de palestras e debate, de grande importância e no qual, contou com um público interessado e participativo. A iniciativa, que decorreu no ISMAT em Portimão, acolheu vários oradores com diversos temas e conteúdos, revelando que as temáticas foram ao encontro dos interessados, que aproveitaram a troca e partilha de experiências e conhecimentos.

O Coordenador assim como a organização que representa, agradecem o convite e sobretudo a forma hospitaleira como nos souberam receber, abrindo assim uma relevante janela, para as causas que ambos abraçam. 

21/08/11

JOVEM PARAPLÉGICO JÁ RECEBEU CADEIRA DE RODAS

Jovem de Pemba, já recebeu a Cadeira de rodas doada pelos alunos e docentes do ESTSP (Escola Superior de Tecnologias de Saúde do Porto), no qual João Almeida, foi mediador neste processo de cooperação.
Foi o irmão do jovem, quem recebeu a prometida Cadeira oferecida, para um jovem de Pemba (Cabo Delgado), que desde há 5 anos se encontra acamado. Na altura da entrega, a coordenação da Humanitarius, contactou a família do jovem, que nos esclareceu, que por se ter agravado seu estado de saúde, este estaria em casa de familiares em Nampula, dado que este vivia sozinho com a mãe, que faleceu no mês de Julho em Pemba. Nampula dista a cerca de 400Km de Pemba, e no caso, foi o irmão do jovem, quem recebem a doação chegada de Portugal. Visivelmente emocionado, este familiar, assegurou ao coordenador da Humanitarius: "esta doação, surgiu num momento muito importante para o meu mano, apesar dos nossos esforços, nunca conseguiríamos adquirir uma para ele ter alguma mobilidade, e sair daquela cama ou sofá, onde permanece desde há 5 anos. Só posso agradecer, ao Irmão Eduardo da Boa Nova, assim como aos jovens e professores dessa escola, que se esforçou para que ele possa agora passear, e circular por onde queira, sem estar limitado a uma cama. Muito obrigado senhores...obrigado!" - As palavras de reconhecimento deste familiar. Quanto ao jovem a quem se destina esta Cadeira, estava no dia 2 de Agosto (dia da entrega), a ser assistido clinicamente na casa dos seus familiares directos em Nampula. Joao Almeida, já confirmou a entrega da cadeira, ficando a saber também que o seu estado de saúde, onde este melhorou consideravelmente.
Doador: ESTSP  Responsável: João Almeida Data: 2 de Agosto de 2011 ás 13.30h Local: Pemba Foto: Sónia Faria Noticia relacionada: ALICERCE XXI: SOLIDARIEDADE, VINDA DO NORTE DE PORTUGAL, PARA O NORTE DE MOÇAMBIQUE, 

04/05/11

CONTENTOR HUMANITARIO, A CAMINHO DE PEMBA

Após 5 horas de "carregamento", com a colaboração de vários voluntários, assim como de elementos da Associação dos Senegaleses e Amigos do Algarve (ASAA), o contentor de apoio social para Moçambique, parte de Portimão com 5 meses de atrazo, face ao inicialmente previsto. Graças ao apoio financeiro do Município de Portimão, que decidiu apoiar com € 4000 os custos de envio, apesar de alguns contributos de pessoas e empresas, o contentor de 40 pés com quase 36 toneladas, já está em embarque rumo ao porto de Nacala (norte de Moçambique), onde deverá chegar daqui a 35 dias, altura em chegará a Moçambique a delegação de voluntários da ONG Algarvia, assim como o seu coordenador, para cumprimento dos projectos em curso.
Carlos Simões, um dos activos colaboradores da ONG, com funcionários do empresário Vasco Carapucinha (proprietário do armazém), foram os "braços direitos" desta tarefa, há muito esperada, ou seja, carregar e ver sair o contentor de todos nós. A Empresa FAOTIR (Transitários), mobilizou os meios logísticos de transporte desde Portimão, porto de Sines e embarque rumo a Nacala. Seguem neste suporte solidário, doações para o apoio Escolar, Saúde e Apoio Social para Pemba cidade capital de Cabo Delgado em Moçambique.

01/05/11

CHEGA DE MOÇAMBIQUE A "CONTAGIANTE" ALEGRIA QUE AGUARDA A ONG ALGARVIA

Começando por Lioce, passando por Natite e terminando em Alto Gingone, as crianças das escolinhas geridas pela Missão Católica de Pemba, revelam uma grande ansidedade e alegria, por saberem que já está a caminho a equipa liderada por João Almeida Tavares, que vai fazer a entrega das doações que já seguem no contentor. Esta "eufórica" alegria foi-nos manifestada pelos coordenadores de gestão das escolinhas, (caso da irmã Laura), a religiosa africana que gere cinco escolinhas dos 3 aos 6 anos em Pemba, sob a égide da Paróquia Maria Auxiliadora de Pemba. Outra das manifestações de grande alegria, chegou-nos da direcção da Aldeia das Crianças SOS de Pemba, entidade parceira, que também vai ser beneficiária. Aqui, diga-mos serão concentradas, na grande maioria, as doações oriundas de Portugal neste processo de cooperação directa e bilateral, entre o CHBA, Rede Social do Fundão, e Hospital de Faro.
A comunidade de cerca de 200 crianças, nas casas de família SOS, mostram já sinais de grande agitação e alegria, bem características do povo Moçambicano. Recorde-se que em Pemba com a colaboração doadora do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, pretendem apetrechar a sua pequena mas, bem organizada Unidade de Saúde de Cuidados Primários, que visam, não só dar apoio ás crianças da instituição, como ajudar a dar maior dignidade no atendimento ás populações envolventes.
O contentor já saiu de Portugal, dentro de dias, seguirá uma, das duas equipas de cooperação técnica, que irão para Pemba (Cabo Delgado), em missão de serviço.

27/04/11

"UM CARINHO"...ALDEIA ADENTRO!

Quando um brinquedo é entregue em mãos, a alegria desmultiplica-se por toda a aldeia.


Por: João Almeida


A par do tecnicismo dos projectos a intervenção directa nas comunidades, onde quase nada chega, é por assim dizer, a parte mais apaixonante e contagiante das missões. Desde 2007, que caminho por via terrestre, até à Guiné-Bissau, atravessando seis países, tais como Espanha, Marrocos, Sahara Ocidental, Mauritânia, Senegal e Gâmbia, até ouvir em Pirada (local de fronteira na Guiné) as primeiras palavras em Português. Eis-me já na Guiné!
A travessia destes países, brinda-nos com a multi-culturalidade e experiências destes povos, que ao longo dos anos e depois de tantas passagens, acabam sendo parte de nós. São sete dias maravilhosos, repletos de sensações e de muita emoção.
Agora, chegados ao destino, inicia-se o trabalho.

UM BRINQUEDO, UMA FESTA!

O que por vezes a nós, pode parecer insignificante, tem, para estas crianças um acrescentado valor e carinho. Um simples brinquedo, um simples caderno, ou até uma mochila com material escolar, são como "pão prá boca" em muitos lugares isolados, tão isolados, que muitas das vezes, desconhecem muitas das realidades internas, quanto mais de um outro país, de um outro qualquer continente.
Calçado, vestuário para senhora e criança, milhares de brinquedos. Para bebés, muitos dos donativos, chegaram-nos de empresas sensibilizadas com algumas imagens que lhes fizemos chegar, no campo de trabalho da nossa organização. Para além da saúde, educação e de todos os projectos que podermos desenvolver, a acção de apoio social directo ás populações mais desprotegidas, é de facto um trabalho a manter.
Consegue imaginar, aparecer de surpresa, numa destas aldeias de "Tabancas" isoladas, com caixas de doações para estas crianças? Talvez não consiga, mas poderemos assegurar-lhe que é uma sensação, única, especial, que achamos que cada português deveria passar por tal experiência. Para além dessa "prenda de esperança", o carinho que nos é replicado por milhares de pessoas, que sabem que ali...onde nada chega, ou quase ninguém se lembra da sua existência, um dia...um grupo de pessoas, lhes entra, aldeia adentro, com um carinho rubricado por centenas de portugueses. Isso, vai acontecer de novo. Aliás, nem podia ser de outra forma.
Aos doadores de milhares de artigos, de todo o género, poderemos assegurar-lhes, que tudo chegará em mãos, directamente, aos que precisam apenas...que não nos esqueçamos que eles existem.

O TRILHO DA MINHA JORNADA

Mato fora, por entre o cheiros dispersos, produzidos pela natureza, onde o calor é poderoso e comanda o ritmo das gentes mais isoladas, por entre machambas de cultivo doméstico, desenhadas pela simplicidade dessas gentes, estão pessoas, com suas casas de colmo, Bambu, ou de "Pau-pic", salpicadas com o barro que as chuvas de encarregaram de misturar, ou a mão do homem, que a utiliza como argamassa, para proteger as paredes. É tradicional, é onde estão pequenas ou grandes famílias, que passam despercebidas, pelo tempo, e sofrem em silêncio, dada a sua natureza.
Ninguém tem tempo, para lamurias. Todos se entre-ajudam, talvez da forma mais cruel, carregando tudo à cabeça, e a água, vem de algures, que dista a muitos quilómetros, onde se vislumbram, as crianças, logo ao nascer do sol, de baldes carregados, sem desperdiçar uma única gota. Crianças que não têm tempo para saber o que é ser criança, que são a grande ajuda da família. Aqui a vida, partilha-se no espaço aberto da casa, a que lhe chamam com altivez o seu quintal, mulheres que procuram nos perigos escondidos da selva, lenha, capim, entre muitas outras coisas, e os homens que percorrem os estreitos do rio, para nas suas entranhas, conseguir algum alimento.
A assustadora "Catana" não é uma arma, é a única e talvez, uma das mais importantes ferramentas de sobrevivência, que dispensa manual de instruções, mas que serve para "abrir" o caminho à subsistência. Serve para tudo, está por todo o lado. Para quem vive isolado no mato, dificuldades são como o "Capim"...há em todo o sítio, aparecem de rompante por todo os cantos. Faz parte!
É, a essas pessoas, que a sociedade "belisca", mas que no meio de tantas necessidades, conseguem produzir um sorriso e a simplicidade de bem receber. Assim que um "forasteiro" por essas bandas entra, saltam os seus gritos tradicionais, entoam-se cânticos e "gingam" o corpo, num sincronizado balancear, revelador da sua hospitalidade, pura e real. Apesar de tudo, dessas gentes, raramente se escuta um "...". Pelo contrário, têm a capacidade de mostrar esse sorriso, que nos incute e anuncia coragem. É a essas gentes, que iremos levar também um pouco da nossa "esperança".
Depois...bom depois, certamente, desbravaremos outros trilhos, onde conheceremos histórias de vida. Vida, que provoca o meu pensamento, como se de um espelho se tratasse, e visse reflectido o quão egoísta e vaidoso é esse meu canto, onde todos os "luxos" gravitam há nossa volta, e por vezes nem queremos perceber, que noutro distante "mundo", a palavra crise...nunca se prenuncia! Onde tudo o que parece excedentário, não se deita fora, não se desperdiça.
Agora, será importante que cada um de nós perceba, que a realidade desta missão, não é só desenhada por uma ONG. Cada um, dos que doaram, ajudaram e apoiaram a iniciativa, têm uma grande contribuição no resultado e nos objectivos, no qual somos mediadores. Por essa razão, o nosso obrigado, em nome dos que não o podem fazer directamente. E aos que comigo "marcham" nesta jornada, só lhes posso desejar determinação, coragem e altruísmo. Cada caminhada por essa África adentro, inspira-nos para o dia seguinte. Somos muitos, de organizações várias, todos com objectivos de levar um sinal de esperança a estes povos, pese embora o trabalho muitas vezes não seja reconhecido, e muitas vezes "beliscado" pela corrupção, deve continuar. Eu no meu ultimo terço de vida, ainda quero fazer mais. Nunca tive a pretensão de mudar o mundo, mas se puder... estar presente "nesse" mundo, que ansiosamente espera por nós abnegadamente, faz-me sentir bem. Estranhamente, se por um lado, recebo largos e motivadores elogios, também sinto a critica inocente por um lado e agressiva por outro, de porque é que eu me esforço em ajudar "estes" povos, quando temos à nossa porta tanta dificuldade. Limito-me a não dar resposta, porque já por si essas perguntas revelam profunda ignorância e desconhecimento de realidades sociais tão diferentes. Ora, como ainda acho que poderei ser muito útil neste processo, concluo com a certeza de que a palavra Cooperação não é um palavrão institucional, mas sim uma identificação importante daquilo que fazemos por esse mundo fora. Bem hajam todos os voluntários do mundo!

22/04/11

CONTENTOR HUMANITÁRIO, RUMO A MOÇAMBIQUE

Embora ainda sem poder respirar de forma aliviada...Humanitarius, recebeu a sua "Amêndoa da Páscoa", Município de Portimão, comparticipa no envio do contentor.
Após, cinco meses em compasso de espera, o "Contentor Humanitário", segue rumo para Moçambique. Recorde-se que o contentor, transporta toneladas de doações de Apoio social, Material escolar e de Saúde, neste com equipamentos de Radiologia, um Angiógrafo e muitos outros suporte á saúde. Ao todo serão aproximadamente, 36 toneladas de doações, para um contentor de 40 (pés). Após vários revés, o envio deste contentor foi adiado por três vezes seguidas, primeiro por motivos burocraticos e falta de resposta da Embaixada Portuguesa em Maputo, no qual recebeu uma candidatura de fundo de pequeno projecto (FPP), no valor de cinco mil euros, que nunca mereceu nenhuma resposta. Depois por agravamento de preço, e por dificuldades de financiamento. Prevê-se que o mesmo possa chegar ao porto de Nacala, daqui por 35 dias. O apoio que mobilizou esta partida, deve-se a um contrato-programa de apoio do Município de Portimão, que manifestamente acreditou no potencial desta cooperação entre a Humanitarius, e as instituições beneficiárias. Apesar de tudo, após meses de derrapagens, estaria em causa o bom nome de Portimão, de Portugal e da ONG Algarvia, que se tem debatido com inúmeras dificuldades, em fazer cumprir objectivos para causas concretas de apoio tanto infantil, saúde e desenvolvimento. Graças ao esforço que muitos cidadãos de norte a sul, e até vizinha Espanha, que os nossos projectos irão ser realizados no terreno, embora com atraso significativo. Convem recordar que as doações destinam-se a;
- Paróquia Maria Auxiliadora de Pemba
- Aldeia das Crianças SOS
- Escolinha Sta. Teresinha de Lioce
- Centro Saúde de Chúiba
- Hospital Provincial de Pemba, entre outros.
Ainda no apoio social directo, a Humanitarius fará a entrega de doações nos Bairros de Natite, Alto Gingone.
De referir que o Município de Lagos celebrou um protocolo para Apadrinhamento escolar em Lioce - Pemba, estando neste momento em análise, a possibilidade do Município de Portimão avançar neste processo.

18/04/11

AMBULANCIAS DE QUARTEIRA, ENTREGARAM DOAÇÃO PARA APOIO SOCIAL

A Associação Humanitária Ambulâncias de Quarteira, entregou um conjunto de doações de apoio social, para fazer chegar, ás comunidades mais necessitadas da periferia de Pemba. Esta Associação, recorde-se, enviou duas ambulâncias em 2009 para a Guiné-Bissau, e tem desde essa altura, mostrado uma grande abertura e carinho, pelas ações de cariz solidário promovidas e coordenadas por João Almeida.
Da Direcção foram recolhidas algumas caixas de vestuário, calçado, brinquedos e até um equipamento de Humidificação. 

09/04/11

HOSPITAL DA GUINÉ, FOI REMODELADO, MAS AS PREOCUPAÇÕES, SÃO AS MESMAS. C/(Vídeo))

Apesar das obras que o Hospital Nacional da Guiné, foi alvo, num plano de remodelação que contou, com vários agentes cooperantes, inclusive da cooperação espanhola, o "Simão Mendes," ainda tem as mesmas dificuldades. A Pediatria, Maternidade, entre outros serviços, "sofrem" dos mesmas "falhas", tal como as conhecemos em 2009, aquando da reportagem que recordamos., nesta peça. Graças a essa reportagem, produzida para tele-documentário, este Hospital Central, tem recebido mais apoios da comunidade internacional. A Humanitarius, em colaboração com o CHBA (Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio) e HDF (Hospital de Faro) entregou desde 2008 até 2010, muitas doações, desde Material de Cirurgia, 2 Blocos operatórios, um de Oftalmologia outro de Otorrinolaringologia, incubadoras e muitos outros equipamentos., assim como muitos berços de maternidade, camas de internamento, cadeiras de rodas e muitos outros. Mas...o "Simão Mendes", ainda precisa de mais apoios. Ora, com essa reportagem, estabeleceram-se outras pontes de contributo, outras organizações, têm disponibilizado ajuda, e é disso que se trata, num Hospital Central, onde depende de geradores para trabalhar, num país que ainda não produz electricidade. Recorde-mos essa reportagem, produzida pela Humanitarius, com a finalidade de contribuir para uma ponte de cooperação, entre todas as ONG's, ou Instituições que possam dar o seu contributo á saúde dos Guineenses. Obrigado, aos que responderam ao apelo desta peça de reportagem, que faz parte de um Documentário completo sobre a Expedição Humanitária na Guiné-Bissau.
Produção: Tempo-Real/Doctv Reportagem: João Almeida (Humanitarius) Agradecimentos aos doadores: CHBA, HDF, Municípios de: Portimão, Lagos, Albufeira e Lagoa.