«No mundo, há gente notável!»

12/02/10

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO, RECEBEU A HUMANITARIUS

O Munícipio de Vila do Bispo, recebeu em reunião a Humanitarius, no qual fez uma apresentação, dos seus projectos de acção social e ajuda á Guiné-Bissau. A delegação da ONG Algarvia, foi recebida pela técnica de acção social da autarquia, que tomou conhecimento, mais detalhado da "missão" da Humanitarius, no panorama social em África. A responsável do departamento, anotou as preocupações e pedidos de ajuda, da Associação, e fez encaminhar o processo, para o executivo camarário. Apesar de não ser possivel a comparticipação financeira, dado que no espaço e tempo, será dificil qualquer aprovação, ficou - assegurou a técnica- uma "porta aberta", para as próximas "missões" operacionais da Humanitarius.
Cordealidade e simpatia, norteou esta reunião, que coloca a edilidade de Vila do Bispo, com virtudes solidárias, no nosso planeamento futuro, onde esperamos, possa vir a fazer parte da lista de Munícipios Algarvios Solidários.

JUNTA DE FREGUESIA DE PORTIMÃO, CELEBROU PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

Para a III Expedição solidária á Guiné-Bissau, a Junta de Freguesia de Portimão, rubricou com a Humanitarius, um protocolo de cooperação, onde prenuncia um apoio de comparticipação na logística e meios da Associação Algarvia. O protocolo, vincula a Humanitarius na Rede Social da freguesia, onde o "Alicerce XXI", está inserido. 2010, leva de apoio social, equipamentos médicos-hospitalares e educação, um nível muito superior de meios na ajuda pública ao desenvolvimento. Recorde-se que a mobilização de recursos humanos, meios e equipamentos, é este ano o maior desde que em 2007 se programou a primeira expedição de ajuda corporativa á Guiné-Bissau.

A JFP desde o primeiro momento, tem ajudado, com as suas possibilidades orçamentais, a Associação Humanitária de Apoio Social Internacional "Humanitarius", neste qudro de ajuda e apoio social á Guiné-Bissau.

O Executivo da Junta, nunca virou costas a um projecto, que esta Associação desenvolve, neste país africano, onde o importante é, criar condições para que a população Guineense, possa enfrentar os desafios de uma sociedade, que aos poucos acorda, de várias convulções politico-militares, que foi alvo, e que só atrasaram o seu desenvolvimento.