«No mundo, há gente notável!»

30/03/09

HUMANITARIUS, DÁ APOIO A FAMILIA DE BUBA

Não basta só levar donativos, não basta só requalificar escolas e centros de saúde, o apoio social começa justamente na ajuda directa a casos de pessoas com situações de grandes carências.
Cadi de seu nome, mulher de 3o e poucos anos, tal como outras muitas mulheres africanas, são as vítimas da pobreza extrema, embora trabalhem árduamente. Esta mulher, que deu á luz filhos fruto das suas relações, acabou sózinha com os seus filhos, não sabe o que é planeamento familiar. Não sabe do que se trata. Sabe que a vida a condenou a trabalhar para uma familia, onde até as crianças são a sua ajuda. Vai para a baixa mar, no rio grande de Buba, apanhar peixe ainda de madrugada, com a ajuda de uma rede, e do seu filho de 12 anos...Henrique, a ajuda preciosa da casa. Não tem homem, e tem para sustentar 7 bocas. A sua velha mãe, de setenta e poucos anos, uma sobrinha também ela grávida, duas meninas de 6 e 9 anos, e ainda a agravar um bébe de 2 anos e outro de 4 anos.
Trabalha de sol a sol, quando não é de madrugada que o peixe vem á rede com a ajuda de uma lanterna. Lava roupa por um custo miserável, trabalha em part-time numa casa pertencente ao estado, que não lhe paga á meses. Cadi Coma, vai ao mato, fazer o trabalho de homem, cortar lenha ou capim. Nas campanhas do Cajú, trabalha desde as 6 horas da manhã, até ás 8 da noite. Vive...ou melhor sobrevive com menos de um euro diário.
Os filhos, e toda a gente da casa, só come "Bianda" (Arroz), com "Máfé" um molho feito com umas plantas Guineenses, á mistura com peixe seco ou fumado, pois a conservação de frescos é impossivél.
Seu filho Henrique, (na foto) braço direito da familia, nunca soube o que era ser criança. Começou a trabalhar muito cedo, tal como suas manas. Carregando pilhas de madeira á cabeça, baldes de água, ou fazer as tarefas que deveriam ser de adultos, este menino, tem a projudicar a sua vida, uma deficiência auditiva, motivada por Otites, nunca tratadas.
Hoje este menino, está medicado e a ser tratado gratuitamente por uma das melhores Otorrinos da Guiné-Bissau. Helena Duarte da Humanitarius, levou-o a Bissau, conseguiu mover montanhas, bater ás portas da Administração hospitalar, e gratuitamente conseguiu medicação e acompanhamento médico. Aliás, o consulado de Portugal em Bissau, estaria pronto para que fosse necessário, Henrique pudesse vir a portugal.
A mãe Cadi, ficou sem saber se chorar ou gritar de alegria, quando recebeu muitos donativos, roupas, calçado para todos, agasalhos para as camas, colchões, utensilios para a casa, que não disponha, brinquedos para as suas crianças, e André Cadete da associação, cimentou o chão de terra do seu quarto, dando outra dignidade ao seu espaço.
Enquanto estivemos na Guiné, nunca faltou uma refeição a estas crianças, nem sabão para lavar roupa. Coisas que Cadi Coma, diz...não ter possibilidade de conseguir. Só pede em forma de apelo que ajudem os seus filhos, só pede para eles. Só pensa neles.
A História desta familia, vai ser publicamente conhecida dentro de dias, num grande reportagem em vídeo, efectuada pela Humanitarius.
Agora que a equipa voltou a Portugal, a nostalgia invadiu os corações de quem um destes dias, partilhou horas, dias, semanas com uma familia entre muitas outras escravas da sobrevivência.

HUMANITARIUS, NO "PORTUGAL EM DIRECTO"

Amanhã dia 31.Março, entre as 14h e as 15h, a Humanitarius, vai estar no Portugal em Directo, simultaneo com a RDP África, e RDP Internacional.
A proposta da RDP visa dar visibilidade, ao trabalho desenvolvido na Guiné-Bissau, fazer uma oscultação sobre como decorreu esta jornada realizada pela segunda vez a esta zona da África quente.
Pode escutar via Online, basta clicar no link abaixo.
http://tv1.rtp.pt/wportal/popups/player.php?canal=5

ENFERMARIA DA MISSÃO CATÓLICA DE BUBA RECEBEU DONATIVOS

Mobiliário, de apoio clinico, Marquesa de tratamento, material farmacêutico entre muitos outros donativos, foram entregues á Missão de Buba. Esta missão, recebe diáriamente, crianças e mulheres, que por motivos vários ali recorrem, para que as irmãs voluntárias desta missão as possa tratar das suas maleitas. O espaço, ainda é novo, e faltam muitas coisas, mas vontade, asseio, dedicação e disponibilidade não falta. Enquanto a delegação humanitária ali esteve, verificou que diáriamente, as filas crescem para receber o tratamento carinhoso e atencioso das irmãs-enfermeiras, desta missão.
Os donativos, correspondem ás Farmácias "CENTRAL" e TRÊS BICOS" de Portimão, ainda outros donativos, como Colchões e estrados, doados pelo Sr. Vasco Carapucinha, empresário Portimonense.

GOVERNO DA GUINÉ, RECEBEU EXPEDIÇÃO HUMANITARIA

O Ministro da Administração do Território da Guiné-Bissau, Chefes de gabinete, além do Secretário de Estado do mesmo ministério, receberam os expedicionários, para agradecer o esforço feito pelos Algarvios, na ajuda e apoio social ao seu país, sobretudo ás familias carenciadas e escolas mais deficitárias do interior. O governante, ouviu a apresentação generalizada dos projectos, e deu garantias de uma supervisão rigorosa e todo o apoio, quanto ás obras em curso. Para tal, este ministério atribuiu a Loa NaTcharre, (anterior administrador local), o titulo de observador responsável, mandatado para fiscalizar e dar prosseguimento a todos os detalhes dos projectos.
O Ministro, fez questão de agradecer ás Autarquias pelo apoio dado, ás entidades oficiais como o IPAD, e ainda a todos os empresários e gente anónima que fez engrossar o contentor humanitário, no qual a associação foi portadora para a Guiné-Bissau.

GOVERNO DA GUINÉ, RECEBEU EXPEDICIONÁRIOS

OBRAS NO CENTRO DE SAÚDE DECORREM E ESCOLA DE BUBA TAMBÉM

As obras de requalificação do Pavilhão escolar da C+S de Buba, já começaram, embora sem a supervisão da Humanitarius, devido aos "timing´s" que derraparam devido a sucessivos atrasos da chegada do contentor. Após um levantamento rigoroso, no planeamento e execução das obras, a Direcção Regional de Educação de Quinara (Região administrativa de Buba), assumiu a responsabilidade, pela execução até finais de Maio. João Almeida, explica os motivos destas alterações: "O processo sofreu um revez quanto á fiscalização das obras, porque não era possível continuar mais tempo no território. Primeiro porque o país parou 5 dias com o Carnaval, depois foram os trágicos acontecimentos internos da Guiné, e só 9 dias depois, a administração pública começou a funcionar. Embora o levantamento tenha sido acautelado e rigoroso, não deixámos de fazer cerca de 3800 Km na Guiné. Ora...chegou o contentor, e pussemos mãos á obra, em simultaneo com a entrega dos donativos. Não podíamos esperar mais tempo." Sublinha o coordenador de projectos de apoio social da Humanitarius.
Numa reunião tida com a Governadora de Buba, onde estiveram presentes os responsáveis da educação local e distrital, foram apresentadas algumas exigências, quanto á aplicação e supervisão dos materiais, a aplicar na recuperação tanto do Centro de Saúde, assim como da escola de Buba.
A coordenação dos projectos, Saude-Alerta e Escola para todos, pediu relatórios mensais sobre a evolução das obras, assim como registos fotográficos de acompanhamento das mesmas.

IMAGEM DO BLOGUE, IGUAL AO CRIATIVO DO SITE

A mudança, marca o final de um projecto, que embora ainda em execução, abre portas a outras iniciativas de Portugal para África, incluindo outros destinos no quadro dos PALOP´S. O criativo deste blogue, passa agora a ser o mesmo do site da associação. Num entanto, será aqui a casa de toda a informação relativa aos projectos Saude-Alerta e Escola para todos.

MISSÃO CUMPRIDA -COMUNICADO- (Parte 1)

(Comunicado da Coordenação de Projectos)
"MISSÃO CUMPRIDA"
Em primeiro lugar, as nossas maiores desculpas, pelo facto de este blogue, não ter sido actualizado a partir da Guiné, ou durante os percursos de viagem. A comunicação para o exterior, se nunca foi fácil nestes países, talvez agora esteja mais deficitária. Daí, as grandes dificuldades em gerir ou disponibilizar informação, muito menos publicar. Mas, agora que chegámos, tanta coisa á a escrever.
Pode-se dizer que, qualquer dos projectos, desenvolvidos por nós na Guiné-Bissau, decorreram, mais ou menos, dentro das nossas prespectivas.
Mas, não foi fácil!
Foram várias as dificuldades, os obstáculos, mas apesar de tudo conseguimos ultrapassar as maiores barreiras. Disso escreverei algumas linhas, em próximas comunicações. Felizmente que este blogue, é lido em Portugal, Guiné e outros países. Fico muito feliz com tais visitas. Graças ao empenho, dedicação, coragem e sobretudo o altruismo da equipa que me acompanhou, referindo-me á Helena Duarte, André Cadete, tal como a colaboração do António Camilo, foi possivel concretizar na totalidade, a distribuição dos donativos, assim como pôr em marcha as obras de requalificação do Centro de Saúde de Buba e da Escola C+S de Buba.
As várias instituições na Guiné-Bissau, Cooperação Portuguesa, UN, Embaixada Portuguesa, Governo da Guiné-Bissau, entre outras, deram o maior apoio, mas...apesar de todas as disponibilidades institucionais e diplomáticas, foi fundamental, acreditar na minha equipa, aquela que arriscou muito, para atingir o momento final...ou seja, entregar em mãos, os donativos dos algarvios.
Disso, nunca tive dúvidas. Conseguimos!
Mas, convêm lembrar, que esta coisa de ser "Humanitário", tem que se lhe diga. É fácil aceitar o apelo, mas mais dificil é, ter a capacidade de integração, dedicação e até a coragem para "digerir", situações mais adversas ou inesperadas.
Cabe-me aqui, fazer acrescento sobre a pessoa do meu colega e amigo Jorge Baptista, que acredito, sinta verdadeiramente o desalento, de não poder acompanhar esta operação, devido aos condicionalismos de datas de permanência no território. Seria incorrecto, se não reconhece-se com verdade, que este colega, lamenta o facto de não poder partilhar desses momentos, mas as coisas são assim e ninguém esperava tais atrasos. Agora convém lembrar, que não seria correcto da nossa parte, embora também a nós expedicionários, estivesse a criar-nos problemas com os atrasos, deixar "ao deus dará...", na Guiné, um contentor de 43 toneladas de donativos, que certamente nunca chegaria ao destino final.
Prometi a todas as instituições Portuguesas que em nós acreditaram, fazer chegar todos os donativos, ás populações mais carenciadas e isso, foi uma prioridade para todos nós.
Prometi cumprir com todos os objectivos, com rigor e equidade...e cumpri.
Agora, que chegámos a Portugal, ainda na "ressaca" de uma viagem dura, cheia de emoções, rica de humanismo, que reforçam a convicção, de que afinal valia a pena. Não tenho dúvidas!
Resta-me agradecer, a todas as pessoas, empresários, doadores anónimos, instituições públicas e de orgãos de estado, aos Senhores Consul de Portugal, Embaixador de Portugal na Guiné, Senhor Presidente do IPAD, Sr. Adido da Cooperação Portuguesa e aos Senhores Ministro da Administração do Território, Srª Ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, por toda a disponibilidade, carinho e respeito para com estes projectos de ajuda e apoio social á Guiné.
A Coordenação
João Almeida