«No mundo, há gente notável!»

24/11/09

AOS POUCOS...

Opinião, por: João Almeida Coordenador Projectos de Apoio Social
Estamos por assim dizer, na primeira fase, da nossa campanha de donativos e preparação de projectos, de apoio social á Guiné-Bissau. Confeso que estou surpreendido, com a disponivel colaboração e resposta das pessoas, face aos apelos feitos, e sobretudo assim que conheceram o nosso papel, através do que o Jornal Barlavento, publicou sobre a nossa acção, para Março de 2010. Aos poucos...chegam os contactos, daqui e dali, as pessoas motivadas sobre a importancia da causa, disponibilizam-se para cooperar. Fantástico.
Curiosamente, as pessoas replicam a mensagem, organizam contactos, trocam conversas nas redes sociais, preparam e selecionam roupas, calçado, materiais escolares, brinquedos, contactam-nos e entregam o seu contributo.
Desde o Porto, Almada, Barreiro, Sines, Silves, Odemira, Albufeira, Olhão, Lagos, Portimão e Monchique, é notório que as pessoas prestam-se a ajudar de uma forma espontãnea, desinteressada. Maravilhoso.
A Associação tem feito um grande esforço, em conseguir tudo aquilo que faz falta no imediato dentro do nosso protocolo. Mas também apelamos ás empresas e empresários da sociedade civil em geral, que possam dar um pouco. Muito pouco, tornar-seá muito, dadas as grandes faltas. Não posso deixar de agradecer a empresas que na ultima missão, deram o seu donativo, que acabou dando maior dignidade aos projectos no terreno.
Á comunicação social em geral, pela visibilidade que têm dado aos projectos, que desenvolvemos no terreno. Aos apoios institucionais, que são de relevante importancia.
Assim, contribuimos para o apoio ao desenvolvimento. Aos poucos, vai lá!
Aos poucos, é preciso dar coragem, incutir determinação, acreditar, dar um voto de confiança, ás populações que notóriamente desejam estabilidade, social, económica e politica.
Aos poucos, é preciso ter a certeza que algo vai mudar.
É com estas colaborações de gente anónima, que nas suas reuniões familiares, definem como podem cooperar, das nossas crianças que pedem aos pais, que lá em casa, afinal têm um brinquedo que já não usam, uns cadernos nunca estreados, uns lápis de cor que não fazem falta, que percebemos, que a utopia da solidariedade consegue coisas extraordinárias.
Ainda agora, começámos esta operação de 2010, contudo temos a certeza que quem dá...não olha a quem!
É oportuno dizer, que nada se faz, sem a graciosa disponibilidade dos nossos colaboradores, aqueles que são na verdade, o "motor" desta e de outras missões. A sua entrega, dedicação, motivação e empenho.
Já agora, não podia deixar de fazer uma referência aos nossos parceiros legais, AVP, RA, ENEAPROMA, IPAD, entre outros.
Aos poucos...tornamo-nos diferentes.
Obrigado