«No mundo, há gente notável!»

16/08/10

ESCOLA DE MOÇAMBIQUE, SONHA COM UM PADRINHO

A Escola cristã de Lioce - Pemba (Cabo Delgado), é talvez o exemplo que poderá abrir o processo de «apadrinhamento escolar», onde com poucos euros, se pode dar maior dignidade e condições, ás escolinhas que recebem centenas de crianças no pré-escolar, poupando-as ao trabalho, ás ruas, á mendicidade e a todos os perigos que rodeam a inocência infantil. Aqui...a comunidade religiosa, presta um sério trabalho com as crianças, onde o único recurso é, bater ás portas da generosidade, para que nada lhes falte. Comunidade de Sta. Teresinha (Lioce), fica no interior da cidade de Pemba. Ao todo são 5 escolas, totalizando 500 crianças, num esforço financeiro acima do previsto, gerido pela missão católica Maria auxiliadora de Pemba. Aos pais é apenas pedido uma pequena comparticipação de ajuda, mas a maioria quase nunca paga.
Aqui, um poço a céu aberto, deteriorou a potabilidade da água para consumo, falta uma vedação em volta da escola, que ofereça melhor segurança, falta equipamento escolar, falta...uma ajudinha generosa. A maior parte destas crianças, que vai dos 3 aos 6 anos, tem aqui a sua única refeição do dia. Pelas 8h servem-se "papinhas" (Farinha de Milho), ao almoço a sua última refeição. Ás 15h o regresso a casa, e na maior parte dos casos, já mais nada comem.
A Humanitarius, deixa o convite e o apelo, ás Autarquias que possam abraçar o projecto "P.A.I.E." (Projecto de Apoio Infantil e Escolar), onde podem ser padrinhos de uma causa, comparticipando com equipamentos, material escolar, dinheiro para ajuda directa ás crianças, que lhes possa dar continuidade neste processo de construção humana, que lhes serve de preparação até ao ensino obrigatório. Cada edilidade, poderá ter a sua "Escola - Afilhada", garantindo durante algum tempo, a manutenção, apetrechamento, dando vida a cada escolinha.
A Humanitarius, vai divulgar em Setembro o seu novo projecto de apoio a estas escolinhas.
O retrato desta história real, pode ser visto, numa reportagem humanizada na missão católica de Pemba, pela "TEMPO REAL FILMES", que a Humanitarius Internacional, sugeriu e acompanhou.

FILME 2

FILME 3

"P.A.I.E." (Projecto de Apoio Infantil e Escolar), Já está apresentado no site oficial da ONG.

COMUNIDADE DE CHUÍBA (PEMBA), APELA A UMA VIATURA AMBULANCIA, PARA NÃO MORREREM MAIS MULHERES E BEBÉS

Apesar da Cidade de Pemba (Cabo Delgado) norte de Moçambique, dispôr de várias viaturas de emergência, ao serviço da saúde pública, o certo é que muitas das unidades de apoio médico periféricas da cidade, zonas mais distantes do grande centro urbano, quando precisam de um serviço de evacuação urgente para o hospital provincial, quase sempre está indisponivél. O Presidente da Comunidade de Chuíba (Zona litoral de Pemba), assim como o Director de saúde da localidade, apontam o dedo á inoperância dos meios existentes, alegando que muitas vezes, as viaturas confiadas a determinadas instituições, poderão estar ao serviço, que não a urgência. Jaime Ruilama, salienta a importancia de uma viatura que esteja fora do activo em Portugal, e que poderá ser de grande utilidade para a comunidade, com cerca de mil habitantes, e um rácio de natalidade crescente. Já por seu turno, o autarca local, reforçou a necessidade de poder evacuar a qualquer hora uma criança ou até uma mulher grávida, em que os riscos justifiquem a evacuação rápida desde a aldeia (a cerca de 10km) da Cidade, mas que infelizmente não tem uma estrada... digna desse nome. O caminho é muito mau, a demora do percurso é de 45 minutos (aprox.)Por outro lado, o autarca, destaca ainda, a necessidade de transportar uma criança ou idoso, para a cidade de Nampula (a 400km), e muitas vezes os pacientes, terem de seguir viajem num "Chapa" (Taxi comunitário), apinhado de gente, sem condições e conforto. A comunidade e os profissionais de saúde locais, receberam o Coordenador da Humanitarius, onde lhe fizeram uma exposição das suas mais básicas preocupações. Ali nesse centro de saúde, foram entregues duas Marquesas de ginecologia, doadas pelo Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, material de apoio cirurgico entre outros. A população, autarca e profissionais de saúde, justificam o seu apelo, dado o número de pessoas que pareceram a caminho do Hospital de Pemba, nos ulimos tempos, por não terem uma viatura, com condições básicas de transporte e apoio pré-hospitalar. O Apelo, emitido em carta, pelo Director do centro de saúde, mostra bem da grande necessidade do meio, testemunhada pelo responsável da ONG Algarvia, aquando da sua visita como enviado especial, para o processo de Cooperação entre esta ONG e a ARS-Algarve. A Humanitarius, é portadora dessa missiva/petição, tendo prometido aos responsáveis locais, dar conhecimento a instituições da tutela da saúde em Portugal.