«No mundo, há gente notável!»

30/09/10

SAUDE, EDUCAÇÃO E APOIO SOCIAL, NO TOPO DAS PRIORIDADES

Na ordem das prioridades,  tenho a consciência, pelo seu vasto conhecimento das dificuldades nos países africanos, por onde tem operado, a Saúde e suas limitações muitas vezes, mais pela falta de meios, do que recursos humanos, é uma das prioridades no topo de todas as que abraça o projecto geral da ONG, "ALICERCE XXI".
Coordenação e responsáveis operacionais da Acção Social, tem partilhado muitas das suas preocupações, no que se refere á concertação de meios e apoios, para fazer chegar ajuda, onde ela é precisa. Mas, mais importante ainda, é fazer com que os meios sejam utilizados no interesse da causa pública, e não caiam nos meandros que gravitam em torno de alguns interesses. Essa, é quase sempre uma "manobra" dificil de gerir, mas não impossivél.
Depois a Educação, é outra das grande opções de trabalho da Humanitarius. Na Guiné-Bissau, esse passo foi dado em três anos consecutivos de intervenção da ONG Algarvia, em Buba particularmente, em Bedanda, Jugedul e até em Bambadinca. Para além de intervenções de apoio escolar, acções de entrega de material escolar em inumeras escolas no interior do território, têm marcado de forma decidida a intervenção solidária da Associação Humanitarius. Escolas onde quase nada chega de ajuda, meninos e meninas, que muitas, ou na maior parte das vezes, nem um caderno têm para os seus apontamentos. Escolas que em alguns casos, nem cadeiras tinham para acomodar as crianças.
No apoio social directo, esta é, talvez a parte mais emocionante, de todas as missões no terreno. O mesmo se passa com Moçambique, ou outros países de lingua oficial Portuguesa. Esta parte de cada missão, é para além de especial, verdadeiramente uma festa. Nas tabancas (aldeias), especialmente no interior, mais isolado das grandes cidades, as familias com suas crianças, saltam para o trilho assim que se apercebem de um jeep, como se já esperassem parte da sua ajuda. A distribuição de roupas, calçado, brinquedos e outros "mimos", fazem da pacata aldeia, uma festa onde a criançada, faz de tudo para chamar a atenção. Assim, que se organizam as coisas, é tamanha a alegria que nos emociona constantemente. Para a Humanitarius, é uma alegria, saber, que tudo aquilo que nos foi confiado, é entregue pessoalmente ás familias e comunidades mais débeis. Isto é na realidade, aquilo que maior gozo nos dá, que nos transforma dia a dia, em cada missão.


Sempre que passamos nas nossas acções, pelos locais de intervenções anteriores, vamos saudar familias, ver como estão as crianças, saber do seu estado de saúde, planificar e organizar, acções de vacinação e de acompanhamento médico. No fundo, nós e essas pessoas, ficámos ligados por laços de amizade, e até de afectos. Actualmente em Moçambique, queremos ser os mesmos, fazer aquilo que melhor sabemos, aquilo que nos faz dar mais sentido á vida. Para Pemba, Cabo-Delgado (antiga Porto Amélia), sabemos onde intervir, com a colaboração de pessoas dotadas de muita vontade e capacidade em cada uma das áreas de acção. Nas linhas do nosso projecto, estão prioridades idênticas, mas com uma grande preocupação acrescida, a mortalidade infantil, o HIV/SIDA, e a pobreza extrema de muitas familias. Não vamos conseguir nunca, chegar a todos. Mas vamos certamente, com o grande sentido de orientação e capacitação, dos nossos técnicos, marcar a diferença do que pode e deve ser feito, para abrir caminho a muitos outros, em prol da saúde, desenvolvimento e bem estar de algumas familias. Estamos em contagem regressiva, para a nossa grande missão, desde Março na Guiné, Maio em levantamento em Moçambique, e agora sim, passando á parte operacional.
Conseguimos produzir, um dos mais completos, Contentores até então. Nós dizemos entre nós, um dos mais lindos de cor, alegria e valor acrescentado. Desde 10 de Agosto, altura em que cheguei de Moçambique, que temos trabalhado a «todo o vapor», para que pudéssemos enviar o contentor nas datas inicialmente programadas. Mas...a falta de apoios, fez cair por terra, esse esforço. Sem desanimar, ele... "o contentor", está pronto. Entrará este fim de semana, em armazém, a ultima das cargas, reservadas para esta grande missão, vem do Município do Fundão, (disso falaremos, na próxima mensagem).
Graças á boa vontade e generosidade de cidadãos de todo o país, aos poucos vamos conseguindo. São donativos que nos chegam, dentro das possibilidades de cada amigo ou amiga. E, por uma questão de transparência, pedimos a todos aqueles que fizerem a sua contribuição, na nossa conta solidária, que por favor nos enviem um mail confirmando essa contribuição, sejam identificados ou não, queremos que sejam publicados no nosso site oficial, todas as verbas para a ajuda no envio do contentor. Queremos, garantir rigor!
Por estas razões de solidariedade, na ajuda á Educação, Saúde e Apoio Social, como agentes de cooperação individual, dizemos, "Contribuimos para causas concretas" com a noção do que significa ajuda pública ao desenvolvimento, sem olhar só para o nosso umbigo, embora convenhamos, as realidades e dificuldades, são extremamente diferentes. Fazer o que é de fazer, sem esperar agradecimentos ou interesses paralelos. Aquilo que nos dedicámos, tem sido uma verdadeira missão, não de um...mas de todos, os que fazem da Humanitarius, uma organização com sentido de responsabilidade.
Obrigado e bem hajam
João Almeida
Coordenador Geral de Projectos