«No mundo, há gente notável!»

23/02/10

ESCOLAS PRIMÁRIAS, APELAM A KITS DE PRIMEIROS SOCORROS

Escolas primárias da Região de Quinara, (sul da Guiné-Bissau) apelam, em mail enviado á Humanitarius, alguns kits de Farmácia, para ajudar ao socorro urgente, em casos de ferimento. Algumas crianças, este ano chegaram a atingir números preocupantes de infecções, produzidas por vários motivos, em que ninguém podia fazer nada, a não ser que se conseguisse alguns desinfectantes assim como "Betadine" entre outros. Todos os anos, pequenos cortes, acabam por produzir infecções muito graves, que aliados á falta de um eficaz plano de vacinação, acaba em Tétano.
Os professores, destas escolas, apelam aos Portugueses que os ajudem, conseguindo estes Kits, com o mínimo, para o socorro imediato. Por outro lado, sugerem mesmo, que para além do socorro, estes Kits, podem ajudar e contribuir, para uma nova "mentalidade" sobre os muitos cuidados a ter, com pequenos cortes, ensinando-os ao mesmo tempo, de como agir, em caso de um socorro a prestar.

VILA DO BISPO, VAI "APADRINHAR" ESCOLA PRIMÁRIA EM MANPATÁ

Por: Helena Duarte
Resp. Apoio Social Humanitarius
Autarquia, apesar de não poder partilhar financeiramente, nesta fase, abriu uma porta no processo de ajuda á Guiné-Bissau, vai ajudar com equipamentos escolares.
O processo de "apadrinhamento", passa a ser institucional, Vila do Bispo, terá a sua imagem associada a uma escolinha no interior, da Guiné. Em Manpatá (Saltinho), no extremo sul do território, a escola local, passará a conhecer, o seu padrinho apoiante.
Numa reunião tida com a responsável pela Acção Social da edilidade, a Camara, assinalou desde logo, a débil situação financeira, tendo o executivo lamentado o facto, de não saber mais cedo desta possibilidade. Verdade é, que o protocolo deste processo, só lhes chegou á mesa, á uns 20 dias a esta parte. Mesmo assim, a autarquia, fez questão de referir, que os meios para equipar uma escola, serão uma realidade, daí que no próximo ano, Vila do Bispo, já terá uma novidade diferente, até porque o processo de apadrinhamento, inicia agora uma nova vida, com a mediação da Humanitarius.
O Coordenador de projectos da Humanitarius, refere - "Esta tomada de posição do executivo camarário, mostra que apesar das dificuldades financeiras, não se pode baixar os braços, na ajuda ao desenvolvimento de países, que muito precisam desta nossa ajuda. Se existe material e equipamentos, que podem ser úteis ás escolas e ao ensino, então porque não contribuir desta forma? É este o caminho, é preciso é fazer qualquer coisa." - Destaca João Almeida, coordenador geral da A.H.A.S.I.